Crédito para empreendedores negros: tem na Firgun!

empreendedores negros

Empreendedores negros são metade dos donos de negócio do Brasil. São mais de 12 milhões de homens e mulheres que direcionam suas habilidades, criatividade e resiliência para desenvolver seus negócios em busca de melhor qualidade de vida para suas famílias.

Mesmo assim, há desafios: a maioria tem dificuldades em acessar crédito, muitos contando apenas com a própria poupança ou de seus familiares para investirem. Apenas 14% dos empreendedores negros conseguiram empréstimos bancários na pandemia. Além das barreiras sociais e o racismo estrutural, a informalidade, ausência de garantias e restrições bancárias dificultam muito o acesso a crédito para essa população.


Já leu?

Empreendedoras negras: as primeiras a começarem um negócio do zero

Investimento coletivo: alternativa para o afroempreendedor


Solução: crédito acessível para empreendedores negros

A Firgun trabalha desde 2017 com microcrédito digital para empreendedores mais prejudicados pela pandemia e em situação de vulnerabilidade social. Fazemos isso pois acreditamos que onde há oportunidades justas para microempreendedores há potencial de transformação social. Acreditamos no microcrédito como ferramenta de combate a desigualdade social e motor para construção de qualidade de vida.

Financiar empreendedores negros com microcrédito barato, a partir de uma burocracia simplificada, feito de forma humanizada e totalmente digital é a nossa forma para levar oportunidades de investimento para quem mais precisa. Por isso é imperativo que estejamos atentos a solucionar a dificuldade de acesso a crédito que empreendedores negros enfrentam no Brasil.

Prêmio Impacto Público: incentivo ao financiamento de empreendedoras negras

Em junho de 2020 fomos selecionados no Prêmio Impacto Público, uma parceria entre o Quintessa e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo (SMDHC), para identificar, apoiar e implementar soluções da sociedade civil que gerem impacto público.

O desafio proposto foi o de aumentar a representatividade de gênero e raça na carteira de microcrédito da Firgun, levando empréstimos a juros zero para mulheres negras empreendedoras da cidade de São Paulo. Fizemos isso por meio do Fundo Periferia Empreendedora, um projeto em parceria com Empreende Aí, Impacto Hub e Desabafo Social. A partir de um movimento filantrópico atraímos recursos para emprestar a empreendedores mais prejudicados pela pandemia.

No Fundo Periferia Empreendedora os créditos são de até R$3.000 com política de juros zero, parcelamento em até 20x e quatro meses para começar a pagar. Ao todo foram aprovadas 25 empreendedoras e viabilizados R$50.000 em empréstimos, apenas para empreendedoras negras da cidade de São Paulo.

O impacto social da Firgun nesse campo

A Firgun tem diferentes maneiras de promover o acesso a microcrédito para empreendedores negros. Somando nossas opções de crédito e regiões atendidas, viabilizamos quase R$223 mil em empréstimos para 112 empreendedores negros e pardos em 2020.

Empreendedores negros financiados pela Firgun

Trazemos abaixo alguns exemplos de empreendedores negros financiados pela plataforma e que merecem toda atenção.

Priscila Novaes é sócia proprietária da Kitanda das Minas, um afrobuffet, localizado no extremo leste de São Paulo no conjunto habitacional Inácio Monteiro. Segundo a empreendedora teve acesso ao crédito por meio do Fundo Periferia Empreendedora de forma simples e descomplicada. Foi a única forma de crédito que encontrou até hoje. O valor será utilizado para a refazer estoque e colocar em prática uma estratégia de atuação em meio a essa crise.

Michelle Fernandes é sócia proprietária da Boutique de Krioula, marca de moda afro. Famosa pelas estampas, acessórios e turbantes coloridos, feitos com tecidos africanos. O recurso do Fundo Periferia Empreendedora serviu para que a empreendedora fortalecesse seu capital de giro.

Michelle Fernandes

Valeria Oliveira tem uma empresa de sublimação e utilizou o recurso do Fundo Periferia Empreendedora para investir na produção de um curso digital. Dessa forma ela diversificou suas fontes de renda e conseguiu multiplicar o investimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *