6 Passos para criar um planejamento financeiro inteligente

planejamento financeiro

Todos passamos por altos e baixos na vida. E em meio a momentos alegres e outros nem tanto, aqueles que conseguem definir metas financeiras e cumpri-las, são aqueles que criaram e seguiram um planejamento. Se você quer viver com segurança financeira, ter um bom planejamento financeiro é o melhor caminho.

A boa notícia é que não é difícil criar um e aqui estão 6 passos para te ajudar.

Passo 1: Descubra para onde vai o seu dinheiro

A primeira e mais importante atitude para desenvolver um planejamento financeiro é saber qual seu orçamento pessoal. Ou seja, você deve saber com detalhes para onde o seu dinheiro está indo hoje.

Tudo que você precisa é de um caderninho, pequeno o suficiente para caber no seu bolso, para você carregar onde for. Ou você pode baixar um aplicativo para controlar suas finanças. Cada vez que você gastar dinheiro, anote o que você comprou e quanto isso te custou.

Aqui temos uma sugestão de planilha para você utilizar. 

No final da semana gaste meia hora lendo suas anotações e categorizando-as. Quanto você gastou com comida? Com transporte? Com moradia, roupas, entretenimento, saúde e superficialidades? No final do mês faça uma soma de todos os seus gastos e novamente depois de três meses. Assim você entenderá seu comportamento financeiro e ficará surpreso com seus gastos.

Não se preocupe muito com o valor das despesas, o momento é de entender para onde o seu dinheiro está indo. É importante que você mantenha essa atitude durante três ou quatro meses.

Passo 2: Defina objetivos financeiros

Pergunte-se: “como eu quero estar daqui 10 anos?”. Evite respostas como “ser rico” e seja mais específico: “quero ter uma casa com metade das parcelas quitadas, ter um portfólio de investimentos no valor de R$50.000 e um fundo com metade disso para o meu filho.”

Seja realista e específico com seus objetivos financeiros. Pode, inclusive propor metas de curto prazo (1 a 3 anos) como: “criar uma reserva de emergência com dinheiro suficiente para viver 3 meses sem trabalhar.” Você quer ter sucesso, não falhar. Então é importante que comece com objetivos possíveis de serem atingidos, com prazo e valores específicos.

Passo 3: Comece a economizar e tenha atenção com o cartão de crédito e afins

Não gaste mais do que você ganha. Isso parece um pouco óbvio, mas nem todo mundo o faz. Segundo o SPC Serasa, quase 40% da população brasileira adulta está endividada.

Redobre a atenção com o cartão de crédito. Ele pode ser seu amigo ou maior inimigo. Se você acha que não conseguirá pagar a fatura cheia no mês que vem, não compre. Com relação a parcelamentos longos, avalie a necessidade e se você conseguirá honrar as prestações até o fim.

Clique aqui e veja 5 dicas para sair das dívidas.

Para não fechar o mês no vermelho experimente usar a regra 50-10-40:

  • 50% para gastos essenciais, necessários para você se manter no mês;
  • 10% para prioridades financeiras como o pagamento de uma dívida ou para construção de sua reserva emergencial;
  • 40% para manter seu estilo de vida. Gastos que não são essenciais e podem ser cortados num momento de crise.

Passo 4: Prepare-se para imprevistos

Depois de entender seus gastos e definir objetivos claros, você deve se preparar para imprevistos. Crie o hábito de poupar não apenas para você conseguir o que quer, mas para ter uma reserva de emergência para a época de vacas magras. O ideal é ter na poupança, por exemplo, o equivalente a pelo menos 3 meses de salário para você viver com tranquilidade caso seja demitido e precise procurar um novo emprego.

Não espere chegar o fim do mês para guardar dinheiro, dificilmente isso vai acontecer se você tiver essa postura. Poupar deve ser algo feito de forma ativa e não passiva. É preciso que isso esteja presente no seu planejamento, não pode ser obra do acaso.

Dinheiro na mão é vendaval. Então não corra o risco de perder seu dinheiro de vista. Inclua no seu planejamento uma quantia mensal que será destinada à poupança e mantenha o pulso firme.

Passo 5: Comece a investir

Depois de guardar dinheiro suficiente para o seu fundo de emergência, você deve considerar a ideia de investir o dinheiro extra.

Aprenda a investir em renda fixa com nosso e-book.

Muitas pessoas têm medo de fazer investimentos, acham que não é seguro ou até que isso é algo apenas para ricos. Não é verdade. Um dos caminhos mais seguros para investir é o da renda fixa e você não precisa de muito dinheiro para começar.

Saiba mais ainda sobre renda fixa com nosso outro e-book.

Você é dono do seu capital e deve usá-lo com inteligência. Lidar com consciência na hora de investir não é um fardo, mas sim uma necessidade num país onde os desafios econômicos e estruturais são muitos.

Passo 6: Acompanhe a evolução do seu planejamento financeiro

Administre seu planejamento financeiro com revisões anuais para saber se ele está de acordo com sua situação atual. Os seus objetivos mudaram? E sua renda, dívidas, necessidades familiares, saúde? Quais os resultados dos seus investimentos? Foram os resultados esperados?

Dependendo das circunstancias pode ser vantajoso rever seu plano semestralmente e até trimestralmente. No entanto, não deixe que os altos e baixos no curto prazo afetem seus objetivos de longo prazo. Pense com calma. Não se apresse para alterar seu planejamento financeiro.

Não é fácil

Pois é. Como você viu dá trabalho e toma tempo fazer e executar um bom planejamento financeiro. No entanto, não há situação financeira ruim que resista a um planejamento eficiente. Você vai ter dificuldades no começo, principalmente na parte de anotar gastos, mas não tem problema. Recomece sempre que possível e siga em frente. Com persistência é certo que você alcançará seus objetivos!

O que achou do texto? Conta para a gente nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *